Conversas francas…..

10 fev

Imagem

Ontem conversamos sobre a falta que faz o toque, o beijo e os olhos.

É tão estranho pedir atenção para quem parece estar tão perto .

A rotina corre os dias e os dias que escorrem as vezes levam a atenção que devíamos ter.

Perdemos os momentos vivendo o que acontece nas telas dos celulares, na televisão, na conversa com o vizinho, na bobagem do trabalho e nos esquecemos…

De fazer presença e estar presente na mesa do jantar, ao lado na cama, no beijos  e nos pequenos instantes

Apesar da dolorida franqueza sinto que saímos mais inteiros daquela conversa.

Mais dispostos a ficar…a pertencer, permanecer… a se olhar…

O segredo dos teus olhos…

4 mar

“El secreto de sus ojos”, é um filme argentino, de 2009, do diretor Juan José Campanella , e eu apesar de todas as incríveis recomendações que recebi vergonhosamente ainda não tinha assistido.

Estrelado pelo excelente ator Ricardo Darin, “El secreto de sus ojos”, conta a história de um funcionário público aposentado que resolve escrever um livro sobre o caso que mais o marcou em sua carreira, no Tribunal Penal de Buenos Aires. Em 1974, Benjamim Sposito(Darín) foi convocado a investigar um estupro seguido de assassinato de uma jovem moça casada. Com esta trama o filme se desdobra no tempo, fazendo do autor da história muitas vezes personagem e apresentando em conta gotas uma trama intrigante com personagens densos.

Assistir o filme vale pela ótima história, pelos atores excelentes, pela força da narrativa. O segredo de seus olhos poderia ser um filme policial, mas não é. É um filme humano e realista e foi isso que me fez trazê-lo aqui. Após assisti-lo refleti durante algum tempo sobre os segredos que todos nós trazemos em nossos olhos, as nossas paixões.

Podemos mudar de cidade, mudar o corte dos cabelos, o estilo, mas nunca mudaremos as paixões que guardamos em segredo. Elas nos dizem quem somos sem querermos fazê-lo. Vocês já pensaram sobre isso? Quais são as paixões que você guarda e que a definem sem que você queira quem você é?

Para aqueles que passam por aqui e ainda não assistiram recomendo que o vejam. Aqueles que já assistiram comentem! um bjo

Sobre recomeçar…

26 jan

Ela nunca teve medo de mudar, sempre que algo parecia demasiado no lugar, ela logo trazia novos significados, ritmos e cores.
Eram porta-retratos que se tornavam espelhos, roupas que ganhavam recortes, paredes que recebiam novas cores e até mesmo na seriedade um pedaço de papel tornava-se um novo lugar para estar.
Até chegar aonde está sempre soube que não queria parar, mas aos poucos tem percebido que quanto mais se vive, sem ao menos perceber é simples esquecer aonde quer chegar. E para continuar sem medo de parar, ela precisará resgatar os pedaços deixados no caminho, as lembranças dos livres sorrisos e a vibração boa de sentir -se viva apenas por recomeçar…

Entre o retorno de saturno e o meu

27 nov

“E aos vinte e nove, com o retorno de Saturno. Decidi começar a viver” (29 – Legião urbana)

Se os dias que passaram tão rápido fossem parte de um mesmo calendário que despencasse folhas ao chão sem que eu pudesse limpá-las, talvez eu compreendesse como as tantas  lágrimas e os espontâneos sorrisos da minha juventude eram únicos e efêmeros.

Talvez eu não levasse  tão a sério as  grandes batalhas que travei contra mim mesma e os outros  e olhasse com brilho real a magnitude dos pequenos momentos.

E se eu abandonasse no chão a velha armadura que construi 10.585 dias atrás e começasse tudo de novo. Abrisse aos olhos devagar ainda incomodada com a claridade,  sorrisse radiante para as pessoas que me amam e estão ao meu redor e a cada dia me propusesse a descobrir, redescobrir e aprender algo novo?

____________________________

 

Deixo para vocês uma música linda:

 

Beijos ao queridos. A minha aventura começa hoje 27 de novembro de 2010 e a partir de hoje eu compartilharei neste blog s e neste tumbrl  a minha tentativa de desconstruir velhos hábitos antes dos 30 http://dehdemari.tumblr.com

Iniciarei agora a minha lista das 29 coisas que quero deixar para trás antes dos 30, publico ainda esta semana.


Aquela era eu…

24 set

blog

Eu fugi das páginas em branco quando percebi que a vista do outro tão próximo não compreendia a palavra embriagada em poesia.
Deixei a alma exposta nos significados jogados, no sentimento apressado buscando equilíbrio.
Eles conseguiram durante algum tempo me esconder com suas máscaras.
Ganhei de presente rótulos que viraram marcas daquelas que ficam na pele para sempre como lembrança.
Com suas meias verdades e uma vontade infinita de não ser quem realmente sou, perambulei na confusão da desconhecida diante do espelho.
Foi quando em mais um dia de apatia e caos, te vi parado em minha porta. Por um momento, tentei esconder a roupa espalhada pelo quarto, passar a mão no cabelo, jogar o cigarro pela janela, esconder o copo.
Primeiro pedi que entrasse, mas não pude olhar nos seus olhos, foi quando mandei que saísse.
Você  contrariou o meu pedido, chegou mais perto, pegou em minhas mãos e questionou o que havia de mim naquilo tudo.
As lágrimas transbordaram e lavaram minha cara tirando minha a armadura de frases feitas, levando ao chão minhas máscaras.
Aquela era eu, mais uma vez  despida na sua frente. Aquele era você , me trazendo de volta para dizer mais uma vez que eu conseguirei viver sem você.

Ouvindo Stereophonics-Since I Told You It’s Over

PS.:Texto antigo, saudades das minhas palavras que atualmente não transbordam as folhas…
Beijos a todos os queridos! bjos

Guarde este amor…

22 mar

A caixa de sedex entregue em sua casa não tinha rementente. Coisa estranha, até para ele que sempre tão engraçado confiava desconfiado.
Pegou o pacote e foi para o quarto, colocou em cima da cama e não teve coragem de abrir.
Decidiu ligar o rádio e tomar um banho demorado, riu sozinho lembrando de inimigos e amantes enquanto imaginava o que poderia ter nela.
Lembrou do Rafaelito o antigo vizinho, que ele uma vez saiu com a namorada e que lhe rendeu uma prótese no dente. Mas o Rafaelito?
Pensou na maluca da Raquel que depois de um final de semana muito maluco ficou meses em seu pé , mas o que ela mandaria por sedex?
Pensou em bancos, empresas diversas, mas nada lhe vinha à cabeça.
Sentou de cueca sobre a cama, balançou a caixa perto do ouvido e não vou ouviu. Aproximou do nariz e também não sentiu nada.
Sem nenhuma conclusão, irritou-se com sua mania de pensar sempre nas coisas mais improváveis.
Pegou uma tesoura, rompeu o lacre, abriu a caixa e no primeiro olhar viu um envelope bonito, ao abri-lo:

Ela e Ele??? Convidam para a cerimônia????

Sem compreender, percebeu que ainda restava um pacote de cartas envoltas em um lacre com uma frase:

Guarde este amor, ele é todo seu.

…………………………………………………………………………………………………………………

Déh De Mari -22/03/2010

Livre como um Deus – nando Reis:

Beijos aos queridos.

Amor é moradia…

12 mar

Hoje eu não vou brigar com você por causa de nenhuma banalidade que me incomoda o caminho.
Eu admito que esperei a música tocar para cantar no seu ouvido aquelas coisas que não tenho coragem de dizer.
Quase nunca sou exata, me equilibro entre a menina que sou e a mulher que você deseja que eu seja.
Ontem eu te perguntei: Como você me escolheu?
Sem pestanejar, você disse que sempre soube, que essas coisas nós simplesmente sentimos.
Sempre fico sem palavras quando te escuto falar assim, porque em mim, nosso amor está sendo construído como uma casa.
Quando você chegou aqui, eu era apenas um terreno daqueles vazios com ervas daninhas para serem arrancadas e um projeto nas mãos de como seria o meu cantinho colorido.
Você arrancou todas as ervas, plantou sementes no jardim e juntos começamos a levantar pequenas paredes, colocamos as janelas e trancamos a porta.
E nem sempre é fácil, nós somos tão diferentes, não é mesmo?
Mas desde o começo foi assim, você sabia que era eu de cara e eu ressabiada decidi ser feliz ao invés de ter razão.
E hoje quando eu falo a mesma coisa mil vezes e você ao invéns de tentar argumentar me acalma com um demorado abraço, eu tenho a certeza de que o nosso Amor é Moradia.

Beijos aos queridos, obrigada pelo carinho sempre e desculpem a ausência.