A arte do encontro

4 mar

essaok

A vida reservou para eles um novo encontro desencontrado, o transito que ganhou do relógio, avião com a hora marcada para partir e a distância de um oceano. 

Viveram meses a espera da chegada com a certeza da partida, ela disfarçava o olhar que mirava o calendário. Ele de volta escolheu a improbabilidade da distância, juntos fingiram esquecer a espera.  

A sintonia leve separada pelo oceano, próxima era jogo de cartas abertas entrega e fuga. Confusão daqueles que tentam evitar o inevitável: deixar o futuro pertencer ao tempo.

Ela não entendia, acreditava que cabia a eles embriagarem-se em beijos, passarem noites sem dormir. Tinha o brilho de volta aos olhos, o sorriso bobo da lembrança no rosto e a esperança do infinito em possibilidades.
Ele explicou a escolha sensata,  a distância que separava os corpos era a melhor saída para certeza da partida e evitaria a tristeza do fim.    

Seus sonhos, eram sonhos que só existiriam em liberdade do outro lado de seus mundos distantes.
Ela sabia que ele chegaria aonde quisesse, mas acreditava que sonhos não sobrevivem sós quando compartilhados com outros sonhos são realidade*. 

Coração cansado segurou a batida, resignada tentou compreender que juntos seriam solidão acompanhada e guardou os suspiros de novos dias.

Vida planejada, ele desencontrava o encontro driblando o inesperado, mas era ato falho verdade que os olhos escondiam. Ela na caótica cidade de tons de cinza  buscava alcançar o inesperado e cada vez que desistia sabia que mentia para si mesma.

Jogando com a impresivibilidade e todas as cartas na mesa era chegada a nova partida.  Despediram-se vivendo em uma noite a falta dos outros dias.  

Corpos envolvidos em vontade, desejo, receio,troca e saudade, certeza de meses de ausência, ventania de sentimentos brinquedo do tempo, conhecidos de longa data conhecendo-se pela primeira vez.

 
Lenine- Todos os caminhos          

PS.: Beijos aos queridos.  Citando o lindo Vínicius de Moraes: “A vida é a arte do encontroembora haja tanto desencontro na vida….”.   *E finalizando com o poeta Raul: “Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade.”
Anúncios

5 Respostas to “A arte do encontro”

  1. Henrique Soejima maio 23, 2009 às 5:29 pm #

    Déh,
    Sempre é uma viagem deliciosa ler seus posts, apesar da carga de momentos de dor interior nada implícita, pelo menos para mim, é possível viajar, sonhar, sorrir lendo suas palavras.

    Ultimamente tenho me questionado muito sobre por que complico demais as situações e sentimentos… e confesso que não encontro resposta.
    Por mais que eu insista… Se vou encontrar algum dia, não faço a menor idéia.

    Mas, também ultimamente, tenho encarado-me dia a dia, a cada abrir e fechar de olhos, tornando-me a mim mesmo um exercício diário de paciência e compreensão cada vez maior.

    É como a que precisamos exercitar com a pessoa que, se a vida permitir, venha a ser nossa outra metade do dia-a-dia.

    A cada nascer e por do Sol, surge uma nova da mesma necessidade que temos de nos completar diariamente.

    Sozinhos, temos que nos completar da mesma forma.
    Esta é a necessidade única e constante que percebo diariamente.

    Completar talvez eu entenda como compartilhar as reailzações, pequenas ou grandes do dia-a-dia, não guardando somente para si.

    Completar significa doar-se em um Amor Incondicional, que apenas quer se declarar, que não espera nada de volta a não ser a confirmação de recebimento de cada declaração.

    Acho que nossa necessidade de completar-se sabe ser egoísta, fazendo-nos esquecer que fazemos parte da necessidade de se completar de outros.

    Somos nós que fazemos parte de um todo maior.
    Somos nós que completamos o que está à nossa volta.

    E temos que reconhecer que há pessoas que sentem-se completas com nossa presença e que por vezes fugimos ou nos encasulamos, inocentemente ou não, destas que precisam de nós para sentirem-se completos.

    Enquadram-se aí nossas pessoas queridas ou que, principalmente, nos querem bem, pois também possuem a necessidade de se completarem e declararem seu Amor Incondicional por nós.

    São nossos familiares, amigos e conhecidos de cada novo dia…

    É cada dia novo que nasce e pede que utilizemos cada uma de suas horas, minutos e momentos.

    AAAHH!!! Como é difícil! Mas é este trecho final que importa!

    Tem horas que acredito que padeço do mesmo mal, ou bem, que você.
    Penso e suspiro demais! Mas fala sério… você tem vontade de mudar? 😛

    Beijos no seu coração!

  2. VitorPaixão maio 24, 2009 às 1:52 pm #

    Debs…

    Se superando a cada dia em menina…

    Em relação ao que o Seu Jima de Mari falou…

    Mais um para o clube amigão… também sou assim…

    A Debs sabe do que estou falando…

  3. KaJu março 5, 2010 às 11:21 am #

    Quero ser como vc qdo crescer! Escrever dor com palavras de poemas e de perda com palavras de luz.
    Te adoroooo muito!
    Lindo post, vida pra frente!

  4. maria claudete março 6, 2010 às 7:15 pm #

    O amor , encontro e desencontros…aqui bem definidos e apesar de sofridos mostram uma carga de emoção compartilhada com os que lêm seus brilhantes textos. Estava sentindo falta…
    Abraços.

  5. Rosiane setembro 28, 2010 às 4:01 pm #

    Essa é minha história,sem tirar,nem por…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: