Arquivo | psicologia RSS feed for this section

O segredo dos teus olhos…

4 mar

“El secreto de sus ojos”, é um filme argentino, de 2009, do diretor Juan José Campanella , e eu apesar de todas as incríveis recomendações que recebi vergonhosamente ainda não tinha assistido.

Estrelado pelo excelente ator Ricardo Darin, “El secreto de sus ojos”, conta a história de um funcionário público aposentado que resolve escrever um livro sobre o caso que mais o marcou em sua carreira, no Tribunal Penal de Buenos Aires. Em 1974, Benjamim Sposito(Darín) foi convocado a investigar um estupro seguido de assassinato de uma jovem moça casada. Com esta trama o filme se desdobra no tempo, fazendo do autor da história muitas vezes personagem e apresentando em conta gotas uma trama intrigante com personagens densos.

Assistir o filme vale pela ótima história, pelos atores excelentes, pela força da narrativa. O segredo de seus olhos poderia ser um filme policial, mas não é. É um filme humano e realista e foi isso que me fez trazê-lo aqui. Após assisti-lo refleti durante algum tempo sobre os segredos que todos nós trazemos em nossos olhos, as nossas paixões.

Podemos mudar de cidade, mudar o corte dos cabelos, o estilo, mas nunca mudaremos as paixões que guardamos em segredo. Elas nos dizem quem somos sem querermos fazê-lo. Vocês já pensaram sobre isso? Quais são as paixões que você guarda e que a definem sem que você queira quem você é?

Para aqueles que passam por aqui e ainda não assistiram recomendo que o vejam. Aqueles que já assistiram comentem! um bjo

Entre o retorno de saturno e o meu

27 nov

“E aos vinte e nove, com o retorno de Saturno. Decidi começar a viver” (29 – Legião urbana)

Se os dias que passaram tão rápido fossem parte de um mesmo calendário que despencasse folhas ao chão sem que eu pudesse limpá-las, talvez eu compreendesse como as tantas  lágrimas e os espontâneos sorrisos da minha juventude eram únicos e efêmeros.

Talvez eu não levasse  tão a sério as  grandes batalhas que travei contra mim mesma e os outros  e olhasse com brilho real a magnitude dos pequenos momentos.

E se eu abandonasse no chão a velha armadura que construi 10.585 dias atrás e começasse tudo de novo. Abrisse aos olhos devagar ainda incomodada com a claridade,  sorrisse radiante para as pessoas que me amam e estão ao meu redor e a cada dia me propusesse a descobrir, redescobrir e aprender algo novo?

____________________________

 

Deixo para vocês uma música linda:

 

Beijos ao queridos. A minha aventura começa hoje 27 de novembro de 2010 e a partir de hoje eu compartilharei neste blog s e neste tumbrl  a minha tentativa de desconstruir velhos hábitos antes dos 30 http://dehdemari.tumblr.com

Iniciarei agora a minha lista das 29 coisas que quero deixar para trás antes dos 30, publico ainda esta semana.


Mulheres que correm com os Lobos…

12 jul

76221938

Há muito tempo tenho ouvido falar do livro que dá título a esse post e lido alguns trechos e resenhas dele por aí. Finalmente comprei o meu exemplar para ler com calma e resolvi bater um papo com vocês sobre o primeiro capitulo.

Mulheres que correm com os Lobos, da psicóloga Clarissa Pinkólas Ester, fala sobre a compreensão da natureza da mulher selvagem(essência da alma feminina) através da interpretação de lendas e histórias antigas e a semelhança de suas características com a de uma loba. A obra dialoga sobre os conflitos da “Mulher Moderna” e como atingir a verdadeira libertação.

A primeira lenda apresentada é a La Loba, a Mulher Lobo que fala sobre uma senhora que vive em um lugar oculto de que todos sabem, mas que poucos já viram. Como nos contos de fadas, ela parece esperar que cheguem até ali pessoas que se perderam e que estão vagando a procura de algo.

Ela tem uma aparência estranha, parece evitar pessoas e emite mais sons animais do que humanos. Segundo a lenda, o único trabalho dela é recolher ossos de todas as criaturas e conservá-los, sobretudo, o que corre o risco de se perder para o mundo, mas a sua especialidade são os lobos.

Ela se arrasta pelos vales e quando consegue reunir um esqueleto completo, faz uma fogueira e canta uma canção. Com o seu canto o lobo volta a viver com força e vitalidade, e livre a criatura corre por um desfiladeiro até tornar-se uma linda mulher.

Resumi o conto de forma simplista, mas acredito que consegui transmitir o que ele nos fará refletir e a sua mensagem serve para homens e mulheres.

Em algumas situações da vida, demonstramos uma angustia tão grande e nem sabemos ao certo o porque, sentimos a perda do referencial, de nossos valores, questionamos quem somos perante as pessoas e a vida. Como escorpiana inquieta e visceral, muitas vezes me senti com a alma cansada, sem identificação da minha real essencia e indaguei meu papel no mundo.

No livro, a longa reflexão sobre o conto de La Loba traz uma auto analise que eu hoje vejo como essencial: Onde estão os seus ossos?

Todos nos começamos como ossos perdidos no deserto e é nossa responsabilidade recuperar suas partes, esse é um processo que exige dedicação, atenção e cuidado.

La Loba indica o que devemos procurar- a indestrutivel força da vida, seu conto de ressurreição  nos mostra o que pode dar certo para a alma. Ele revela que se cantarmos a canção, poderemos conclamar nossos restos psiquicos e voltar a nossa forma vital. Cantar significa usar a voz da alma, sussurrar a verdade da necessidade de cada um, soprar alma sobre aquilo que esta doente.

Isso se realiza no mergulho mais profundo em nosso amor próprio, no resgate pelo que gostamos de fazer, no cultivo das amizades que nos fazem felizes, na nossa fé, exercicio da criatividade,  na busca pelos anseios que enxergamos com o canto dos olhos. Mas não na procura pela realização atraves do outro,  o real encontro  é solitário.

Ouvindo Priscilla Ahn – Dream

PS. Eu espero que para vocês esse conto seja também alimento para a alma, volto em breve com as minhas histórias ….Beijos aos queridos..Desculpem os problemas de acentuação, continuo brigando com meu teclado…Este texto tem trechos adaptados do livro.