Archive | Uncategorized RSS feed for this section

Conversas francas…..

10 fev

Imagem

Ontem conversamos sobre a falta que faz o toque, o beijo e os olhos.

É tão estranho pedir atenção para quem parece estar tão perto .

A rotina corre os dias e os dias que escorrem as vezes levam a atenção que devíamos ter.

Perdemos os momentos vivendo o que acontece nas telas dos celulares, na televisão, na conversa com o vizinho, na bobagem do trabalho e nos esquecemos…

De fazer presença e estar presente na mesa do jantar, ao lado na cama, no beijos  e nos pequenos instantes

Apesar da dolorida franqueza sinto que saímos mais inteiros daquela conversa.

Mais dispostos a ficar…a pertencer, permanecer… a se olhar…

Entre o retorno de saturno e o meu

27 nov

“E aos vinte e nove, com o retorno de Saturno. Decidi começar a viver” (29 – Legião urbana)

Se os dias que passaram tão rápido fossem parte de um mesmo calendário que despencasse folhas ao chão sem que eu pudesse limpá-las, talvez eu compreendesse como as tantas  lágrimas e os espontâneos sorrisos da minha juventude eram únicos e efêmeros.

Talvez eu não levasse  tão a sério as  grandes batalhas que travei contra mim mesma e os outros  e olhasse com brilho real a magnitude dos pequenos momentos.

E se eu abandonasse no chão a velha armadura que construi 10.585 dias atrás e começasse tudo de novo. Abrisse aos olhos devagar ainda incomodada com a claridade,  sorrisse radiante para as pessoas que me amam e estão ao meu redor e a cada dia me propusesse a descobrir, redescobrir e aprender algo novo?

____________________________

 

Deixo para vocês uma música linda:

 

Beijos ao queridos. A minha aventura começa hoje 27 de novembro de 2010 e a partir de hoje eu compartilharei neste blog s e neste tumbrl  a minha tentativa de desconstruir velhos hábitos antes dos 30 http://dehdemari.tumblr.com

Iniciarei agora a minha lista das 29 coisas que quero deixar para trás antes dos 30, publico ainda esta semana.


Guarde este amor…

22 mar

A caixa de sedex entregue em sua casa não tinha rementente. Coisa estranha, até para ele que sempre tão engraçado confiava desconfiado.
Pegou o pacote e foi para o quarto, colocou em cima da cama e não teve coragem de abrir.
Decidiu ligar o rádio e tomar um banho demorado, riu sozinho lembrando de inimigos e amantes enquanto imaginava o que poderia ter nela.
Lembrou do Rafaelito o antigo vizinho, que ele uma vez saiu com a namorada e que lhe rendeu uma prótese no dente. Mas o Rafaelito?
Pensou na maluca da Raquel que depois de um final de semana muito maluco ficou meses em seu pé , mas o que ela mandaria por sedex?
Pensou em bancos, empresas diversas, mas nada lhe vinha à cabeça.
Sentou de cueca sobre a cama, balançou a caixa perto do ouvido e não vou ouviu. Aproximou do nariz e também não sentiu nada.
Sem nenhuma conclusão, irritou-se com sua mania de pensar sempre nas coisas mais improváveis.
Pegou uma tesoura, rompeu o lacre, abriu a caixa e no primeiro olhar viu um envelope bonito, ao abri-lo:

Ela e Ele??? Convidam para a cerimônia????

Sem compreender, percebeu que ainda restava um pacote de cartas envoltas em um lacre com uma frase:

Guarde este amor, ele é todo seu.

…………………………………………………………………………………………………………………

Déh De Mari -22/03/2010

Livre como um Deus – nando Reis:

Beijos aos queridos.

Das pequenas grandes coisas…

5 set

vó

Nos dias de chuva em que a luz acabava ou ela mesma apagava, lá íamos nós para a cama escutar histórias.

Para ela, a chuva não gostava de conversa. Televisões e janelas chamavam trovões e decidir tomar banho nem pensar, era preciso ficar quieto.

Seu quarto tinha móveis fortes de madeira escura, na penteadeira perfumes e santinhos lindos em miniatura, o guarda-roupa era o lugar perfeito para encontrar as roupas dos meus personagens das peças semanais que eu apresentava no prédio.

Na parede, a padroeira Santa Rita fazia vigília a nossa bagunça e as suas histórias do Bicho Papão e Boi da Cara Preta era interrompidas pelo relampear, e quando medo chegava lá estava ela com o sorriso e os braços abertos para que dormíssemos.

Em tardes como essa, ainda espero que ela apareça e me chame para tomar chá para esquentar, comer bolacha e bolo com cobertura de limão.

Quando penso em férias, lembro das expedições malucas que fazíamos em seu quintal gigante, no meio das bananeiras, do galinheiro, desafiando os formigueiros.

Ela sempre atenta nos alertava, mas deixava, ela sabia que era coisa de criança. Naquele quintal decidi que ia ser veterinária, descobri as lesmas casca de banana, levei o colégio inteiro para conhecê-las e quase fui expulsa quando resolvi que a professora de ciências deveria vê-las de perto.

Um dia participei do parto da Pakita, uma das cadelinhas, quase fui mordida, sai toda suja e depois de levar uma bronca danada e passar mal literalmente, ela disse que não contaria a minha mãe se eu não fizesse de novo.

Ela era batalhadora, paciência, compreensão risada tímida, seriedade, fé sem tamanho, inocência, muitas histórias, cabelo que não podia bagunçar, porre de biotônico, bolinho de chuva, força para defender seus pequenos, fumar escondido, macarrão com frango no domingo, correr atrás do homem do sonho, ver Roberto Carlos escondido, subir a ladeira para comprar sorvete, corpo de violão, a mulher do açogueiro, a avó da menina loirinha, banho de mangueira, piscina de 1.000 litros para o verão dos netos, ensinar a lição de casa, abraço, telefonema no final do dia e todo o amor que houve nessa vida.

Só um livro contaria todas as nossas histórias, não é mesmo?

Todas as vezes que as pessoas brincam com a minha personalidade forte, meus momentos de timidez, minha indignação com injustiças e o jeito maluco que tenho para resolver as coisas sempre conto sobre você.

Como eu não posso abraçá-la, mas tenho certeza de que a senhora sempre olha por mim, está é a minha singela homenagem. Vó Feliz Aniversário! Eu amo você! Você sempre será a força que vive em mim e me faz sempre acreditar!

Pato Fu: Canção pra você viver mais

Beijos aos queridos!

Garoa Fina…

10 mar

chuva.jpg

Eu sempre disse a ele que as atitudes das pessoas me assustavam, mas que não podia julgá-las, porque não sentia o que fazia com que agissem daquela maneira.
Conversamos sobre a loucura, aprendizado, o tempo, a paciência, as inúmeras situações que vivemos em outras épocas e como agimos de forma errada e injusta algumas vezes.
Não falamos das angústias de nossos dias e principalmente não justificamos o que sentíamos, a real razão que nos move a agir no presente.
Deixamos a vida parecer brisa leve de verão, vivemos cada dia como tarde de férias e todas as noites madrugadas em claro com o sabor de vinho tinto.
Esquecemos os dias frios de chuva em que nada parece ter sentido, e que as verdades batem como garoa fina que incomoda o rosto.

Beijos aos queridos….

Era dezembro…

11 dez

71952265.jpg 

O mundo parecia pequeno para a inquietude dela. Buscava sentimentos, sinais e respostas, mas será que haviam?

Era dezembro, quase Natal, e mais uma vez era preciso determinar resoluções para o novo ano.

Por mais que tentasse, tinha dificuldade em viver um dia de cada vez.

Em uma tarde dessas buscou uma nova vidente. Diz que não acredita nestas coisas, mas  esta é a quarta cartomante que a moça visita neste mês.

– Você casará com um homem que já conhece…

Saiu desnorteada e por dias aquela frase bateu em sua cabeça. Quem poderia ser?

Pensava em alguns deles, mas todos vinham carregados de tanto desencontro, que ela não queria acreditar que todos aqueles que se foram, poderiam voltar com o Amor que ela esperava.

Chegou o dia 24, e no meio daquela correria rotineira de embrulhar presentes, ela ficou com a alegre tarefa de buscar as encomendas da avó na padaria.

Apressada deparou-se com uma fila enorme, parou atrás de um rapaz, seu celular tocou e começou a papear com uma amiga.

O rapaz virou-se, aguardou que ela terminasse a conversa e questionou:

– Oi, você estudou no Colégio Amastor?

-Sim, há muitos anos atrás.

– Puxa,  você se parece  muito com uma menina que estudou comigo no primário,  neste mesmo colégio, que não vejo há muitos anos.

Olhou para o rosto do rapaz e lembrou dos olhos verdes do menino que roubou seu primeiro beijo.

– Acho que também lembro você….

A conversa prosseguiu animada, e a fila pareceu andar rápido.  Pegaram os pães e caminharam em um bate-papo descontraído até a porta.

Ensairam uma despedida atrapalhada, por iniciativa dele, trocaram telefones…Combinaram um encontro após o Ano Novo….

Sorridente, ela entrou no carro e colocou no rádio o CD natalino que ganhou no jornal do dia:

Noiteeeeeeeeeeeeee feliz!!!

Hummm….

–  Será que é ele?

Ela acha que não, nunca acreditou em videntes. 

9 de novembro: Pedido de Aniversário…

5 dez

sb10063816a-005.jpg

Ela parou em frente ao bolo, com a nostalgia de mais um ano completo e como diria Marta Medeiros se sentia: “Uma mulher madura que às vezes brinca de balanço. E uma criança insegura que às vezes anda de salto alto”.Desde pequena gostava de festas de aniversário, naquele ano, reuniria apenas a família em casa e no dia seguinte os amigos do coração em um bar. Os dois dígitos da vela incomodavam, o tempo passou tão rápido e é sempre no aniversário que ela se dá conta.Quando tinha sete anos, lotou o apartamento em que morava de primos e coleguinhas e cantou o disco inteiro da Xuxa vestida a caráter antes de cortar o bolo e fazer o pedido. 

Naquele dia, preferiu a descrição, vestia a roupa do trabalho. Olhou ao redor e sorriu, sentiu falta dela que tinha tanto orgulho da neta. Ficou com os olhos mareados de lágrimas, respirou fundo,  assoprou a vela e esqueceu a voz daqueles que cantavam e batiam palmas em volta, cortou o bolo e fez um pedido a Deus:

 Neste novo ano eu só quero um GRANDE AMOR POR MIM “MESMA”!Para que eu seja sempre minha maior aliada e não a minha pior inimiga.Para que o meu amor seja atitude, e que eu consiga demonstrá-lo a todos aqueles que me ensinaram o que é amor. Para que o meu amor transmita serenidade e me permita perdoar os erros daqueles que amo, me dê coragem para pedir perdão pelos meus e consciência para errar menos.Para que meu amor próprio seja tão evidente, que eu tenha ao meu redor apenas pessoas que me amam pelo que sou.Para que o meu amor se encontre em amor, e dê frutos no futuro, frutos do meu amor.Para que o meu amor seja o instrumento de concretização dos meus objetivos com saúde plena e disposição.Para que a minha fé, fruto do maior de todos os amores, seja sempre a força que transpõe os obstáculos, e mostra o caminho que devo seguir.Para que o meu amor próprio seja o encontro da minha verdade e da felicidade maior que é me amar pelo que sou.Amém… Abriu os olhos e repartiu o primeiro pedaço em dois, entregou para ela e ele que fizeram dela o primeiro fruto, fruto do seu amor, abençoado pelo maior de todos os amores.